sábado, 19 de junho de 2010

Nao é justo

Nao é justo novamente sentir me assim quando tinha jurado a mim mesma que não voltaria passar pelo mesmo. Oito anos depois e tanto esforço pra que? Pra tu em minutos estragares tudo só mesmo por maldade...
Não imaginas como fiquei, como doeu outra vez, doeu tanto como se fosse a primeira vez... Tanto eu que eu tinha prometido a mesma e no fim de tudo só me estava a enganar...
Será assim até quando nunca chegará a minha vez.. Porque é que tu consegues e eu não? É assim tão difícil...
O friozinho na barriga que se fazia sentir, o cheirinho a recordações, o bater do coração mais forte e as pernas a tremer, pra depois terminar como tantas outras vezes, comigo a chorar...
Não é justo eu sentir me assim, não é justo fazeres me sentir mal, e ficares sempre com a razão.
É assim tão difícil perceberes o quanto dói?
Pelos vistos é... pra ti sempre foi fácil teres o que querias, sem pensar que passar por cima dos outros e magoar, não é o caminho...
Eu prometi que nunca mais me ia sentir assim e que nunca mais me irias fazer sentir assim, mas pra quê se é sempre o mesmo...
Nunca chegará a minha vez, só queria mesmo esquecer te pelos menos como pensava que tinha esquecido...
Desde aquele dia eu percebi que te perdia pra sempre e nem assim mudou.
Hoje compreendo alguém pois quando uma pessoa marca, marca pra sempre é como uma queimadura por muito que passe deixa sempre a sua marca pra vida... e tu deixaste a tua...
Não é justo os meus sonhos, os nossos sonhos, não serem mais nossos e pior ainda não ser eu que estou lá...
Não é justo não está certo, porque pior que tu seres uma desilusão, sou eu que não consigo ultrapassar o simples facto de te ter perdido....

1 comentário:

Ana CLS disse...

Muito profundo...mas ao mesmo tempo muito dorido e triste*** A que perceber e interiorizar no sub-consciente que existem pessoas que não nos merecem. Somos bem melhor que eles.
Força***